Processo do coma consiste, na verdade, em um mecanismo de defesa

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

O processo do coma consiste, na verdade, em um mecanismo de defesa do próprio organismo para desacelerar o metabolismo cerebral e dar uma chance ao corpo para se recuperar da agressão. E elas são diversas. “Entre as causas do coma estão traumatismos cranioencefálicos, tumores cerebrais, acidentes vasculares cerebrais, uso de substâncias tóxicas, sedativos, alterações das funções hepáticas e renal e até da glicemia”, explica a médica intensivista Viviane Cordeiro Veiga, da UTI Neurológica do Hospital Beneficência Portuguesa, de São Paulo.

O tratamento pode se dar através da preservação imediata do cérebro – o que foi feito, por exemplo, assim que o piloto Schumacher deu entrada no hospital francês. “Durante a fase aguda são tomadas medidas de proteção para reduzir ainda mais a atividade do órgão e, consequentemente, suas necessidades metabólicas e de aporte sanguíneo”, afirma o neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho, diretor do Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer, no Rio de Janeiro. “Com isso, evita-se ou reduz-se o aparecimento de lesões secundárias, decorrentes de má oxigenação e da elevação da pressão intracraniana, entre outros fatores”.